Blog

08/12/17

Dicas de viagem: Conheça Petrópolis, a Cidade Imperial

Localizada na região serrana do Rio de Janeiro, a pouco mais de uma hora da Cidade Maravilhosa, Petrópolis atrai muitos turistas por ser a Cidade Imperial, usada por Dom Pedro II como um lugar para repousar e descansar lá na época do Período Imperial.

Dentre as principais atrações da pequena cidade, estão incríveis museus, igrejas, parques ao ar livre e alguns edifícios históricos ligados ao período monárquico brasileiro. Se você tem vontade de conhecê-la, saiba que um final de semana, três dias no máximo, são suficientes para aproveitá-la sem enjoar.

Por ter sido usada como residência de veraneio de Dom Pedro II, Petrópolis conta até hoje com muitos prédios históricos. O legal, é que muitos deles foram transformados em hotéis e pousadas, como o Solar do Império e o Casablanca Koeler, considerados ótimas opções de hospedagem. Neles, você poderá se sentir no Período Colonial. Vale a pena hospedar-se neles!

O Caminho Real Resort, único cinco estrelas da região, é uma ótima opção para quem prefere ficar mais próximo da natureza. Se você estiver pensando em se hospedar nele, a dica é tirar mais dias para aproveitá-lo também, já que as construções históricas do centro de Petrópolis acabam concorrendo as trilhas ecológicas do resort.

Apesar de pequena, a cidade conta com uma boa variedade de opções de hotéis e pousadas. O Grand Hotel Petrópolis, o Gallardin Palace Hotel e o Casablanca Imperial também são boas pedidas!

Além do clima ameno, que atrai muitos visitantes, a gastronomia da cidade serrana também é um bom motivo para visita-la. Um petisco de peixes, um bom prato de massa e um delicioso vinho são perfeitos para complementar a viagem, ainda mais, se o clima estiver frio, como é comum na região.

Não deixe de visitar os restaurantes Oliveira da Serra, Barão Gastronomia, 2 Vales, Trutas do Rocio e Duetto Café, esse último um bistrô localizado nos jardins do Museu Imperial. É imperdível!

Museu Imperial: Localizado no Palácio Imperial, antiga residência de veraneio de D. Pedro II, o museu é considerado um dos mais visitados de todo o país. Mais de 300 mil itens compõem o acervo, entre carruagens, móveis, joias e vestimentas da coroa. Não deixe de ver o espetáculo Som e Luz, que acontece nos jardins do museu de quinta a sábado, às 20h.

Cervejaria Bohemia: Inaugurada em 1853, a fábrica, pertencente a primeira fabricante de cerveja do país, abriga um museu temático e interativo, uma loja e um complexo cervejeiro, que conta com um bar, mesas touchscreen e um cardápio bem recheado. A fábrica fica aberta de terça a domingo.

Museu Casa de Santos Dumont: Considerada uma das atrações mais visitadas de Petrópolis, Encantada, como é popularmente conhecida, foi toda desenhada e projetada por Santos Dumont. Não é à toa, que ela foi transformada em um museu em memória do famoso inventor brasileiro.

Catedral São Pedro Alcântara: Construída em estilo neogótico francês, a Catedral abriga um mausoléu onde estão localizados os restos mortais da família imperial. A construção é considerada uma joia arquitetônica da cidade! Não perca a chance de visita-la, seu interior é belíssimo também!

Parque Nacional da Serra dos Órgãos: Quem pensa que a cidade é voltada apenas para o turismo histórico, está totalmente enganado. Isso porque nos arredores da cidade está localizado o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, que com mais de 20 mil hectares, abriga Petrópolis e outros três municípios. Lá, você pode fazer trilhas, escaladas, rapel e tomar banho de cachoeira. Você sabia que o parque conta com o maior circuito de trilhas do Brasil?

Palácio de Cristal: Com mais de 100 anos, o palácio, considerado um dos maiores símbolos da cidade, abriga exposições e eventos culturais, como a Bauernfest. Considerado Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, a construção foi encomendada pela Princesa Isabel para sediar as exposições agrícolas do Período Colonial.

Palácio Quitandinha: Construído para ser o maior resort e cassino da América do Sul, o Palácio, hoje administrado pelo SESC Rio, está aberto a visitação. Apenas as áreas comuns podem ser visitadas, como o teatro e os mais de 13 salões. Os apartamentos, que são cerca de 400, são particulares! Vale a pena fazer uma visita! Quem sabe, não está acontecendo algum evento por lá!

Fonte: Pure Viagem

continuar lendo

21/11/17

11 praias perfeitas no Rio de Janeiro

Conheça as melhores praias da orla fluminense e prepare o biquíni para os dias de sol e mar
Ao percorrer a orla fluminense, o viajante que sai em busca de cantinhos paradisíacos para se esticar na areia e se refrescar no mar não volta frustrado para casa. O Estado do Rio de Janeiro conta com praias onde é difícil não se encantar. Algumas têm acesso fácil de carro, enquanto em outras só é possível chegar por trilhas ou de barco.
Independentemente da localização, isoladas ou badaladas, selecionamos 11 praias que merecem uma visita.

1. Praia do Farol (Arraial do Cabo)

Localizada na Ilha do Farol, a praia é considerada uma das joias de Arraial do Cabo . Afinal, difícil não se encantar por suas águas geladas de cor azulada e areia branquinha, emoldurada por dunas e morros verdes. Um estudo do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) a considerou a praia mais perfeita do Brasil. O acesso a ela, no entanto, só por barcos autorizados, já que a ilha é controlada pela Marinha.

2. Prainhas do Pontal (Arraial do Cabo)

Estas duas praias de areia bem branquinha, separadas por rochas, se tornam uma enseada só quando a maré está cheia. Suas águas têm tonalidade azul e são cristalinas como uma piscina, boas para quem quer mergulhar. Das areias, os banhistas têm vista para a Ilha do Farol . Para quem quiser visitá-las, o acesso é por uma escadaria íngreme a partir do Morro do Atalaia ou por barco.

3. Praia Azeda e Azedinha (Búzios)

Estas duas praias de águas límpidas de cor esverdeada como um limão (daí o nome Azeda) estão pertinho uma da outra. Suas águas são calminhas, boas para banho e mergulho. Cercadas por costões verdes, em suas estreitas faixas de areias brancas há barracas que abastecem os turistas com drinques e quitutes. O acesso à praia Azeda é por uma rua calçada a partir da Praia dos Ossos. No canto direito, há uma pequena trilha para a Azedinha.

4. Praia José Gonçalves (Búzios)

A pequena e bem-preservada praia de José Gonçalves fica dentro da Reserva Ecológica das Emerências. Suas ondas fortes atraem os surfistas para o local. A orla estreita é contornada por pedras escuras arredondadas e costões verdes. Para matar a fome dos banhistas há só a rústica barraca do Ranieri, que oferece deliciosos pratos à base de frutos do mar (destaque para as casquinhas de mexilhões).

5. Praia de Lopes Mendes (Ilha Grande)

Ilha Grande tem praias belíssimas, mas a grande queridinha dos turistas e moradores é Lopes Mendes . Pudera. Suas águas são cristalinas, com variações de tonalidades azul e verde, que ficam ainda mais vivas nos dias de sol. Ela é extensa, tem 3 km de areia fina, com amendoeiras na costa que oferecem sombra aos banhistas. Na alta temporada e feriados, ela fica um pouco mais movimentada e conta com alguns vendedores. No restante do ano, permanece tranquila. O acesso é por trilha, com cerca de duas horas de caminhada a partir da Vila de Abraão, ou, se preferir, por barcos.

6. Praia dos Dois Rios (Ilha Grande)

Em cada uma das extremidades desta praia de areia branca corre um riacho de água doce, daí o nome Dois Rios . Este belo local de mata preservada já abrigou o presídio Cândido Mendes, implodido em 1994, do qual restam apenas ruínas. Hoje, a praia conta com uma sede de estudos avançados da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

7. Praia de Antigos e Antiguinhos (Paraty)

O acesso até as praias de Antigos e Antiguinhos é difícil e não há barracas de praia por lá, quase sem sombrinha para se refrescar do calor. Mas, selvagens e isoladas, elas são lindas. Estas duas enseadas, cercadas por montanhas verdes, têm areia fofa e águas cristalinas. No canto direito de Antiguinhos passam riachos de água doce, bons para tirar o sal do corpo. Não dá para chegar a estes dois paraísos de carro. Para acessá-los, só por trilha, a partir da praia do Sono – outra enseada que também vale uma visita – ou de barco, saindo da praia do Meio ou de Laranjeiras.

8. Praia de Itacoatiara (Niterói)

A mais bela praia do litoral de Niterói , Itacoatiara fica a cerca de 30 minutos do centro. Com acesso por uma única via, para chegar até a praia é preciso atravessar um condomínio residencial. Cercada por montanhas verdes, tem águas cristalinas e ondas altas para a alegria dos muitos surfistas que a frequentam. No canto direito, há uma piscina natural de águas calmas, ideais para os banhistas.

9. Praia de Ipanema (Rio de Janeiro)

Bastam alguns minutinhos na areia fofa para perceber que é impossível ficar indiferente à Ipanema , praia que inspirou e inspira artistas, onde tendências foram e são criadas. Nos seus 2,6 km de orla circulam patricinhas de corpos sarados, estrangeiros, gays e heteros solteiros, famílias, surfistas e amigos que se reúnem para bater uma bolinha. Ambulantes oferecem clássicos quitutes cariocas, como o mate, biscoitos Globo e o sacolé. O Posto 9 continua sendo ponto de encontro e point de paquera de Ipanema.

10. Prainha (Rio de Janeiro)

Na Barra da Tijuca , protegida pela Mata Atlântica, a Prainha tem 700 metros de extensão, cercada por dois morros verdes. Com boas ondas, é a praia preferida dos surfistas. Bem preservada, a natureza é seu grande chamariz.

11. Praia de Grumari (Rio de Janeiro)

Parte da mesma área de proteção ambiental da Prainha, Grumari é uma praia ampla, com 2,8 km de extensão, cercada por costões e morros com vegetação de restinga. O contraste entre o límpido mar azulado e a mata verde encantam, especialmente nos dias ensolaradas. Ondas entre um e três metros de altura atraem muitos surfistas, especialmente aos finais de semana. No canto esquerdo fica a praia de Abricó, frequentada por naturistas.


Fonte: Turismo iG

continuar lendo
ver todas as postagens